DSpace

RI UFBA >
Instituto de Geociências >
Programa de Pós-Graduação em Geoquímica: Petróleo e Meio Ambiente (POSPETRO) >
Artigos Publicados em Periódicos (POSPETRO) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/28991

Title: Sensibilidade do copépode Nitokra sp. à exposição ao agregado óleo-material particulado em suspensão (OSA)
Other Titles: Geochimica Brasiliensis
Authors: Silva, Ana Carina Matos
Guimarães, Sanye Soroldoni
Oliveira, Olívia Maria Cordeiro de
Moreira, Icaro Thiago Andrade
Trigüis, Jorge Alberto
Cruz, Manoel Jerônimo Moreira
Keywords: Ecotoxicologia;Agregado óleo-MPS;Nitokra sp.;Geoquímica
Issue Date: 2018
Citation: Silva, Ana Carina Matos; Guimarães, Sanye Soroldoni; Oliveira, Olívia Maria Cordeiro de; Moreira, Icaro Thiago Andrade; Trigüis, Jorge Alberto; Cruz, Manoel Jerônimo Moreira. Sensibilidade do copépode Nitokra sp. à exposição ao agregado óleo-material particulado em suspensão (OSA). Geochimica Brasiliensis, Rio de Janeiro, v. 32, n. 1, p. 47-61, 2018.
Abstract: Em um derramamento de petróleo em zonas de manguezal existe grande possibilidade da agregação do óleo com o material particulado em suspensão, o que poderá determinar o sedimento de fundo como destino final do OSA (Agregado Óleo-Material Particulado em Suspensão) representando um grande risco aos organismos bentônicos. Testes de ecotoxicidade com esses organismos têm sido amplamente utilizados como uma das formas mais precisas de monitoramento biológico aos impactos antrópicos nesse ecossistema. O presente trabalho avalia a ecotoxicidade da exposição ao OSA em sedimentos de manguezal, coletados ao longo do estuário do rio Pardo, município de Canavieiras, Bahia, por meio de ensaios em escala piloto (microescala). O procedimento foi realizado através dos testes toxicológicos de exposição aguda para determinar a CL50 (concentração letal 50%) utilizando o copépode bentônico Nitokra sp. Para efeito de comparação, foram realizados dois cenários, o primeiro considera a fase aquosa do protocolo de simulação de formação do OSA em microescala, e o segundo, o elutriato a partir de sedimento e óleo homogeneizado em diferentes frações. Foi verificado que a formação do OSA tem potencial muito menos tóxico (CL50 70,71) em relação ao elutriato formado a partir dos percentuais de sedimento homogeneizado com óleo cru (CL50 5,59) confirmando seu potencial como efetiva forma de limpeza para tratamento de óleo na água. ABSTRACT- In an oil spill in mangrove areas, there is a great possibility of oil aggregation with suspended particulate matter, which may determine the bottom sediment as the final destination of OSA (Oil-Suspended Particulate Matter), posing a great risk to Benthic organisms. Ecotoxicity tests with these organisms have been widely used as one of the most accurate forms of biological monitoring of the anthropogenic impacts on this ecosystem. The present work evaluates the ecotoxicity of the exposure to OSA in mangrove sediments, collected along the Pardo river estuary, Canavieiras, Bahia, through pilot scale (microscale) trials. The procedure was performed using acute exposure toxicological tests to determine LC50 (lethal concentration 50%) using the benthic copepod Nitokra sp. For the purpose of comparison, two scenarios were performed, the first considers the aqueous phase of the OSA simulation protocol in microscale, and the second, the elutriate from sediment and oil homogenized in different fractions. It was verified that the formation of the OSA has a much less toxic potential (LC50 70.71) in relation to elutriate formed from the percentages of homogenized sediment with crude oil (LC50 5.59) confirming its potential as an effective form of cleaning for oil treatment in water.
URI: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/28991
ISSN: 0102-9800
Appears in Collections:Artigos Publicados em Periódicos (POSPETRO)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
523-2227-1-PB.pdf448.57 kBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA