DSpace

RI UFBA >
Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (FFCH) >
Programa de Pós-Graduação em Antropologia (PPGA) >
Dissertações de Mestrado (PPGA) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/28468

Title: Tornar-se mulher usuária de crack: trajetória de vida, cultura de uso e políticas sobre drogas no centro de Salvador-BA
Authors: Malheiro, Luana Silva Bastos
???metadata.dc.contributor.advisor???: Edward, MacRae
Keywords: Crack;Cultura de Uso,;Trajetória de vida;Drogas
Issue Date: 25-Jan-2019
Abstract: Este estudo de caráter etnográfico teve como objetivo investigar a cultura de uso de crack entre mulheres com trajetória de vida nas ruas do Centro da cidade de Salvador, compreendendo, a partir da dinâmica desta cultura, a importância da construção entre pares dos controles sociais informais, bem como dos controles sociais formais advindos de uma sociedade estruturada a partir de opressões. Com a finalidade de observar o cotidiano da vivência desta cultura, procedi ao acompanhamento das parceirass da pesquisa nas cenas de uso de crack. Posteriormente, o trabalho de campo me conduziu para o acompanhamento dessas mulheres em outros trajetos urbanos de busca por serviços de assistência, saúde e justiça, bem como a construção de um grupo local de militância feminista. Por meio da bibliografia de referência para o tema foi possível direcionar o meu olhar para a compreensão da gramática de violência cotidiana direcionada a essas mulheres, acirrada pelo direcionamento de uma política de drogas que utiliza a estratégia de guerra às drogas que tem se apresentado como uma guerra contra as mulheres. Como resultado reflito que a grande maioria das mulheres investigadas recorrem ao uso abusivo de crack como método para aliviar o sofrimento de violências de gênero e raciais sofridas ao longo de suas trajetórias de vida, bem como elaboram estratégias políticas de resistência, proteção e mobilização entre mulheres. Concluo pontuando que a politica de drogas, tal como se apresenta na atualidade, reforça opressões de raça, gênero e classe constituindo uma arena marcada pela injustiça social na vida das mulheres. A resposta a essas opressões aparecem na pesquisa a partir da construção do campo do feminismo antiproibicionista que tem organizado politicamente mulheres afetadas pela guerra as Drogas.
URI: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/28468
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado (PPGA)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Dissertacao__FIM__.pdf4.24 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA