DSpace

RI UFBA >
Instituto de Saúde Coletiva - ISC >
Dissertações de Mestrado Profissional (ISC) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/25734

Title: Análise das práticas de voto de auto exclusão e da recusa subjetiva na segurança transfusional no Hemopa.
Authors: Oliveira, Paula Christine Amarantes Justino
???metadata.dc.contributor.advisor???: Santos, Maria Ligia Rangel
Keywords: Triagem Clínica de doadores;Voto de Auto Exclusão;Recusa Subjetiva
Issue Date: 12-Apr-2018
Abstract: O voto de auto exclusão e a recusa subjetiva são mecanismos criados para aumentar a segurança transfusional entre doadores de sangue, na tentativa de reduzir os riscos inerentes às transfusões de sangue heterólogas, como: janela imunológica e o erro estimado em testes sorológicos, uma vez que ainda não se dispõe de testes com 100% de especificidade. O objetivo deste estudo foi analisar as práticas de auto exclusão e da recusa subjetiva na Fundação Hemopa, no período de 2012 a 2013, identificando a taxa de auto exclusão e de recusa subjetiva na população de doadores aptos, bem como a taxa de alterações sorológicas e o perfil desses doadores, comparando com o perfil dos demais doadores aptos e identificando os principais fatores que motivam o profissional a realizar uma recusa subjetiva na triagem clínica. Trata-se de um estudo do tipo quantitativo-qualitativo. O estudo quantitativo teve abordagem descritiva, transversal e retrospectiva dos resultados de exames sorológicos de doadores de sangue total e de plaquetas que tiveram o seu sangue descartado por auto exclusão ou devido à recusa subjetiva. Já o estudo qualitativo teve abordagem exploratória descritiva. Na abordagem quantitativa o estudo demonstrou que o perfil dos doadores auto excluídos se assemelha ao perfil dos que foram recusados subjetivamente, ao se considerar as variáveis gênero, estado civil, tipo de doação, tipo de doador e sorologias com maior prevalência de alterações. Somente a faixa etária dos doadores com maiores taxas de sorologias alteradas e o grau de escolaridade dos doadores com esse perfil sorológico mostraram variação entre os grupos pesquisados. Entre os triagistas, os principais motivos que os levaram a determinar uma recusa subjetiva foram: suspeita de omissão ou falta de verdade; o comportamento do doador; bloqueio de seu (sua) parceiro (a) sexual por alteração sorológica. Frente aos resultados sorológicos encontrados, conclui-se que os métodos subjetivos de descarte de unidades de sangue doadas ainda se mostram importantes meios para tentar aumentar a segurança transfusional.
URI: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/25734
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado Profissional (ISC)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Dissertação PAULA CHRISTINE AMARANTES J. OLIVEIRA. 2015.pdf4.72 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA