DSpace

RI UFBA >
Escola de Enfermagem >
Programa de Pós-Graduação em Enfermagem (PPGENF) >
Dissertações de Mestrado (PPGENF) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/20110

Title: Condições de Nascimento de Crianças em Comunidade Quilombola
Authors: Santos, Lorena Fernanda Nascimento
???metadata.dc.contributor.advisor???: Camargo, Climene Laura de
???metadata.dc.contributor.advisor-co???: Felzemburgh, Ridalva Dias Martins
Keywords: Saúde da Criança;Saúde da Mulher;População Negra;População vulnerável;Assistência Perinatal
Issue Date: 22-Aug-2016
Abstract: As condições de nascimento no Brasil, apesar de apresentarem uma evolução significativa nas últimas décadas, ainda apresentam discrepâncias baseadas nas desigualdades étnicas, de classe social e região. Quando se enfoca as comunidades quilombolas, identifica-se que as condições sociais que geralmente vivenciam são piores que as condições da população negra em geral. Objetivo Geral: conhecer as condições de nascimento das crianças das comunidades quilombolas de Ilha de Maré. Objetivo Específico: 1. Caracterizar as condições de nascimento das crianças das comunidades quilombolas em estudo, segundo as condições sociodemográficas das famílias; 2. Investigar os dados obstétricos de mães quilombolas e as características das crianças no momento do nascimento; 3. Analisar como se dá o acesso e a acessibilidade aos serviços perinatais por mães quilombolas. O estudo foi quantitativo descritivo, realizado nas comunidades quilombolas de Ilha de Maré, Salvador-Bahia. Este, fez parte de um projeto Guarda-Chuva intitulado “Acesso e Assistência à Saúde Infantil em Comunidades Quilombolas: Caminhos para Equidade no SUS, financiado pela FAPESB, aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal da Bahia por meio do Parecer Consubstanciado 367.474. As participantes foram mães de crianças quilombolas de 0 a 2 anos. Os dados foram coletados por meio da aplicação de um questionário, armazenados e analisados com o auxílio do programa Stata, versão 12,0. As variáveis estudadas apontam que as mães de crianças quilombolas, mesmo com grau de instrução satisfatória tratando-se de uma comunidade vulnerável, exercem ocupação informal que reflete em uma renda per capta inferior ao salário mínimo. Em relação aos dados obstétricos, 67,8% foram partos vaginais, 96,6% não tem histórico de natimorto e 89,8% não tem histórico de aborto, 57,6% não referiram doença na gestação, 42,4% apresentaram doença na gestação, as mais referidas foram hipertensão e infecção urinária. Em relação a vitalidade da criança, 76,7% apresentaram peso adequado na avaliação do escore de Apgar 85,0% das crianças apresentaram índice entre 7 e 10 no 1º minuto e 95,0% apresentaram índice entre 7 e 10 no 5º minuto. Foi observado que as mulheres realizaram pré-natal na Unidade de Saúde da Família (USF). Observa-se, ainda, um itinerário no trabalho de parto desgastante, as questões geográficas dificultam o acesso às maternidades. As mulheres utilizam embarcações de familiares ou alugadas que não promovem o transporte seguro e, visitam em média, 1,5 maternidades no trabalho de parto. Concluiu-se que, a condição de saúde de mulheres no período gestacional e de crianças no nascimento é influenciada pela condição sociodemográfica limitante, sendo necessário adequar a assistência à saúde a comunidade quilombola. Os resultados deste estudo poderão subsidiar ações políticas locais e municipais, pois, possibilitará observar as situações favoráveis e desfavoráveis para a condição de nascimento saudável de recém-nascido quilombola.
URI: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/20110
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado (PPGENF)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Dissertação_ Enf_ Lorena Fernanda Nascimento Santos.pdf1.8 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA