DSpace

RI UFBA >
Instituto de Biologia >
Trabalhos de Conclusão de Curso – TCC (Biologia) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/18802

Title: Anatomia foliar comparada de quatro espécies de Passiflora L. (Passifloraceae) infectadas pelo vírus do endurecimento dos frutos do maracujazeiro
Authors: Barbosa, Naira Costa Soares
???metadata.dc.contributor.advisor???: Leite, Kelly Regina Batista
Keywords: Passifloraceae;maracujá;anatomia foliar;endurecimento dos frutos do maracujazeiro
Issue Date: 4-Apr-2016
Abstract: A família Passifloraceae apresenta várias espécies de grande importância ecológica e econômica. No Brasil, o maracujá amarelo, Passiflora edulis f. flavicarpa Deg., é a principal espécie cultivada e comercializada. Um dos maiores problemas enfrentados pelos produtores são as doenças causadas por vírus, bactérias e fungos, sendo o endurecimento dos frutos, causado pelo Cowpea aphid-borne mosaic virus, ou pelo Passionfruit woodiness virus, a principal delas. A virose caracteriza-se por alterações nas folhas, como mosaico e bolhosidades, e diminuição da qualidade dos frutos, havendo endurecimento, redução do pericarpo e da produtividade. Entre as espécies silvestres de Passiflora, algumas apresentam maior resistência ao vírus, tendo menor comprometimento quando infectadas, podendo assim contribuir para o aumento da resistência dos cultivares comerciais por meio de hibridações interespecíficas, devendo-se para tanto, conhecer quais as características estão relacionadas à resistência e à suscetibilidade. Os estudos anatômicos podem servir como ferramenta para a identificação destas características. Este trabalho teve como objetivo, através de análises histológicas das folhas, identificar as características relacionadas a resistência e suscetibilidade ao vírus em quatro espécies de Passiflora: P. edulis f. flavicarpa (cultivada), P. cincinnata, P. gibertii e P. setacea (silvestres). Para isso foram feitas avaliações anatômicas de plantas infectadas e sadias, das quatro espécies. As superfícies foram analisadas em microscopia eletrônica de varredura. Para a confecção das lâminas semi-permanentes, fez-se cortes paradérmicos do limbo, e transversais do limbo e pecíolo, que foram clarificados e corados com safranina alcóolica 1% e azul de Astra + safranina (9:1), respectivamente. Avaliou-se as plantas qualitativamente, pela observação das lâminas, e quantitativamente, através da mensuração da espessura das epidermes, dos parênquimas, da espessura total do limbo e da densidade estomática. Com os dados obtidos, realizou-se o teste T, comparando plantas infectadas com plantas sadias, em cada espécie. Observou-se nas espécies silvestres, deposição de cera epicuticular cristaloide, ausente na espécie cultivada. As análises qualitativas mostraram que das espécies silvestres, P. gibertii foi a espécie menos impactada. Porém, as análises quantitativas, revelaram menores diferenças entre os indivíduos infectados em relação aos sadios para P. setacea. As espécies P. gibertii e P. setacea foram identificadas como mais resistentes ao vírus.
URI: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/18802
Appears in Collections:Trabalhos de Conclusão de Curso – TCC (Biologia)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Anatomia foliar de Passiflora (TCC).pdf1.36 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA