DSpace

RI UFBA >
Faculdade de Educação >
Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) >
Teses de Doutorado (PPGE) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/16419

Title: Fotografias pessoais no Facebook: corpos e subjetividades em narrativas visuais compartilhadas
Authors: Teixeira, Irenildes
???metadata.dc.contributor.advisor???: Couto, Edvaldo Souza
Keywords: Narrativas fotográficas;Facebook;Corpos;Subjetividades;Construção de conhecimento;Photographic narratives;Facebook;Bodies;Subjectivities;Construction of knowledge
Issue Date: 16-Oct-2014
Abstract: Esta pesquisa discute, numa aproximação com as narrativas de Alice no País das Maravilhas, da Mitologia Grega de Narciso e dos Meninos Perdidos na Terra do Nunca, os modos de articulação das experiências corpóreas dos sujeitos juvenis pela produção e publicização fotográfica nas redes sociais, sinalizando outras rotas de aprendizagens – num olhar específico para as narrativas tecidas na rede social Facebook. Sustentados na realidade fluida e instável da cultura digital, os jovens são sujeitos nativos dessas fronteiras dilatadas que suscitam ideias potencializadas pelos modos como eles intensificam suas volatilidades subjetivas na cibercultura, em ações dinâmicas e ampliadoras de seus potenciais criativos. A cibercultura ocupa um lugar de destaque nesse movimento, uma vez que se constitui de técnicas materiais e intelectuais, práticas, atitudes e experiências que suportam as condições juvenis de Ser e parecer Ser. Nesta perspectiva, o estudo se desenvolve a partir do seguinte problema de pesquisa: como os jovens produzem representações de corpo e (re)significam a consciência perceptiva da sua singularidade, por meio das fotografias publicizadas e compartilhadas no Facebook, de modo a compreender outras rotas de aprendizagens sinalizadas por essas narrativas? A pesquisa em busca de respostas para este problema foi orientada pelas seguintes questões norteadoras: 1) Que códigos culturais os jovens imprimem no recorte tempo/espaço, no ato de fotografar o corpo? 2) De que maneiras os jovens articulam sua experiência corpórea, pela produção fotográfica, ao tempo/espaço das redes sociais, para construir significados e sentidos que atribuem à sua singularidade? 3) Que rotas de aprendizagens os autores/atores/narradores sinalizam em suas narrativas fotográficas nas redes sociais digitais? O objetivo geral foi investigar e analisar as narrativas fotográficas juvenis compartilhadas nas redes sociais digitais, de modo a compreender outras rotas de aprendizagens sinalizadas por essas narrativas. É uma pesquisa qualitativa, de cunho descritivo e analítico, fundada na Netnopesquisa. No nosso processo de investigação, em busca de respostas para o problema posto, dialogamos com 12 (doze) jovens imersivos no Facebook, tendo como prática postagens de fotografias como estratégia narrativa de suas performances. Selecionamos e agrupamos temas e abordagens que demonstraram suas relações com os modos de construção de conhecimento por meio de suas narrativas fotográficas. Dar “voz” a esses sujeitos nos permitiu perceber a força que as tecnologias digitais exercem no cotidiano social e intelectual desses jovens em suas condições de Ser e apare(Ser), (re)dimensionando, inclusive, suas práticas cognitivas. Com a pesquisa constatamos que esses sujeitos desenvolvem outras rotas de aprendizagens: mais fluidas, críticas, libertárias e anárquicas, tendo o corpo como um território de construção de conhecimento. A pesquisa concluiu que os corpos juvenis representados nas fotografias publicadas no Facebook são canais tecno-digitais de comunicação; os sujeitos juvenis imprimem em seus corpos publicizados nas redes sociais a avatarização da liberdade; os corpos juvenis perfilados no Facebook se educam pelos sentidos e se articulam numa trajetória única de cada sujeito; o Facebook é instância formativa e as narrativas fotográficas emprestam liberdade para a não fixação de seus corpos.
ABSTRACT This research discusses an approach to the narratives of Alice in Wonderland, in Greek mythology of Narcissus and the Lost Boys in Neverland, the ways to articulate the tangible experiences of youth subject for producing and publicization photographic on social networks, signaling other routes of learning - in particular looking at the narratives woven into the social network Facebook. Sustained in the fluid and unstable reality of digital culture, young people are native subjects of these dilated boundaries that cause ideas potentiated by the modes how they intensify their subjective volatilities in cyberculture, in dynamic and magnifying action of their creative potential. Cyberculture occupies a prominent place in this movement, since it constitutes the intellectual material techniques, practices, attitudes and experiences that support youth and Be able to seem to Be. In this perspective, the study develops from the following research problem: how young people produce representations of body and (re) signify the perceptual awareness of their uniqueness, through publicized and shared photos on Facebook, in order to understand other routes of learning signaled by these narratives? The research looking for answers to this problem was guided by the following guiding questions: 1) What cultural codes youths print on cut time / space, in the act of photographing the body? 2) In what ways young people articulate their bodily experience, the photographic production, the time / space of social networks, to construct meanings they attribute to their uniqueness? 3) What learning routes authors / actors / narrators signal in their photographic narratives in digital social networks?The overall objective was to investigate and analyze juvenile photographic narratives shared in online social networks, in order to understand other learning routes signaled by these narratives. It is a qualitative research, descriptive and analytical nature, founded on Netnopesquisa. In our research process, seeking answers to the problem posed we dialogued with twelve (12) young immersive on Facebook, with the practice of posts photographs as narrative strategy of his performances. We selected and grouped themes and approaches that demonstrate their relationships with modes of knowledge construction by means of his photographic narratives. Give "voice" to these subjects allowed us to realize the power that digital technologies play in social and intellectual young people in their daily life of these conditions to be and seems to be, (re) sizing, including their cognitive practices.With the research we found that these individuals develop other routes of learning: more fluid, critical, libertarian and anarchic, having the body as a territory of knowledge construction. The research concluded that juvenile bodies represented in the photographs posted on Facebook are techno-digital channels of communication; juveniles subject print their publicized bodies in the social networks the “avatarização” of freedom; profiled juvenile bodies on Facebook are educated by the senses and articulate a single trajectory of each subject, Facebook is the proceedings formative and photographic narratives lend freedom to not setting their bodies.
URI: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/16419
Appears in Collections:Teses de Doutorado (PPGE)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Tese Irenides Teixeira versão_ final para entrega UFBA abril 2014.pdf11.31 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA