DSpace

RI UFBA >
Escola de Enfermagem >
Programa de Pós-Graduação em Enfermagem (PPGENF) >
Dissertações de Mestrado (PPGENF) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/15113

Title: Nível de conforto de familiares de pessoas internadas em Unidade de Terapia Intensiva
Authors: Gibaut, Mariana de Almeida Moraes
???metadata.dc.contributor.advisor???: Mussi, Fernanda Carneiro
Keywords: Conforto;UTI;Família;Enfermagem;Unidades de Terapia Intensiva;Estado terminal;Hospitais Públicos;Cuidados de Enfermagem
Issue Date: 4-Jul-2014
Abstract: Introdução: Conforto, meta do cuidado de enfermagem, precisa ser compreendido a partir das interações dos usuários com os serviços de saúde. Todavia pouco se conhece sobre a experiência de conforto de familiares de pessoas internadas em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e quais variáveis influenciam o nível de conforto desses. Objetivo Geral: Investigar a influência de variáveis relacionadas aos familiares de pessoas internadas em UTI e ao contexto de internação dessas sobre o nível de conforto dos familiares. Métodos: Estudo transversal, realizado em seis UTIs, distribuídas em três hospitais públicos de ensino da Bahia. A amostra de 250 familiares foi entrevistada empregando-se a Escala de Conforto de Familiares de Pessoas em Estado Crítico de Saúde (ECONF). Dados de caracterização da amostra foram analisados por distribuição de frequências, médias e desvio padrão. O nível de conforto dos familiares, global e por dimensão da ECONF foi analisado em médias aritméticas e separatrizes. Para análise da diferença das médias do nível de conforto global e por dimensão da ECONF segundo variáveis de interesse, empregou-se o teste One Way (ANOVA). O teste de Bartlett foi usado para avaliar a homogeneidade das variâncias. Quando o Bartlett mostrou heterogeneidade das variâncias aplicou-se o teste não paramétrico de Kruskall Wallis. Empregou-se o pós-teste de comparação múltipla, Bonferroni, para identificar quais grupos diferiram entre si. Adotou-se o nível de significância estatística de 5%. Os dados compuseram uma base no programa SPSS, versão 17.0 for Windows e realizou-se as análises no programa Stata versão 11. Resultados: Dos 250 familiares, 71,2% estiveram em visita a membros internados em hospitais de Salvador e 28% em hospital de Feira de Santana. A idade média do grupo foi de 40,6 anos (dp 11,9). Predominaram participantes do sexo feminino, casados/união estável, católicos, com 2º grau completo, economicamente ativos e sem experiência anterior com familiar em UTI. A maior parte era filho ou cônjuge do membro internado, porém apenas 44,8% residiam com o mesmo. O próprio entrevistado era o responsável pela família em 41,2% dos casos. O nível global de conforto dos familiares foi médio. Observou-se nível de conforto alto nas dimensões Segurança e Interação Familiar e Ente, médio na dimensão Suporte e menor na dimensão Integração Consigo e com o Cotidiano. A UTI de internamento, o nível de gravidade e o tempo de internação do membro; o sexo, a idade e a renda do familiar; e a natureza do relacionamento do familiar com o membro na UTI influenciaram o nível de conforto. Conclusão: O nível de conforto dos familiares por dimensão da ECONF variou de alto a médio e o global foi mediano. Sofreu influência de variáveis relacionadas aos familiares de pessoas em UTI e ao contexto de internação dessas. Os resultados assinalaram a importância da reflexão dos profissionais de saúde quanto à efetividade de práticas de cuidar dirigidas a familiares visando a promoção do conforto, em serviços públicos, no contexto baiano. É um desafio implementar ações que ajudem familiares a minimizar o desconforto vivido com internação do membro na UTI, considerando as variáveis estudadas.
URI: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/15113
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado (PPGENF)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Dissertação_enf_ Mariana Moraes Gibaut.pdf2.09 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA