DSpace

RI UFBA >
Instituto de Biologia >
Programa de Pós-Graduação em Ecologia e Biomonitoramento (Pós-Ecologia) >
Dissertações de Mestrado (Pós-Ecologia) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/14538

Title: Comparação do comportamento de corte entre machos de Ceratitis capitata Wiedemann (Tephritidae: Ceratitidini) selvagens e Viena TSL08.
Authors: Roriz, Alzira Kelly Passos
???metadata.dc.contributor.advisor???: Bravo, Iara Sordi Joachim
Keywords: Mosca-das-frutas - Comportamento sexual;Acasalamento de animais;Moscadas- frutas - Controle biológico;Animais de laboratório - Criação
Issue Date: 5-Feb-2014
Abstract: O conceito básico de seleção natural é que características favoráveis hereditárias tornam-se mais comuns em gerações sucessivas de uma população de organismos, e que características desfavoráveis tornam-se menos comuns (Krebs & Davies, 1996). Já a seleção sexual é um mecanismo da seleção natural pelo qual características relacionadas ao sucesso de acasalamento são privilegiadas (Anderson, 1994; Krebs & Davies, 1996). Esta pode atuar de duas maneiras. Uma delas é a seleção intra-sexual, que favorece a capacidade dos indivíduos de um dos sexos para competir pelas fertilizações, privilegiando aqueles que são supostamente mais aptos para lutar e vencer os outros machos pela conquista das parceiras; a outra é a seleção inter-sexual, que favorece características em um dos sexos que atraem o outro (Alcock & Gwynne, 1991). A seleção sexual muitas vezes resulta em rápida evolução de traços comportamentais, sendo que a herdabilidade de caracteres selecionados, plasticidade fenotípica e assimilação genética podem estar atuando nessa seleção (Waddington, 1953; Andersson, 1994). A ecologia comportamental é um tipo de abordagem que revela as bases ecológicas e evolutivas dos comportamentos, demonstrando experimentalmente a ação de um determinado ato sobre o valor adaptativo de um indivíduo (Del-Claro, 2004). A Ceratitis capitata Wiedemann, oferece uma oportunidade incomum para analisar estas questões no âmbito da seleção artificial em criação de laboratório. Essas moscas são conhecidas em todo o mundo por serem pragas de inúmeras espécies de frutos e sua colonização tem servindo a vários propósitos que vão desde pesquisa básica até extensos programas de controle, como por exemplo, a técnica do inseto estéril (TIE). Por conseguinte, essa espécie tem sido mantida em cativeiro por muitas gerações em condições que diferem drasticamente daquelas da natureza. Neste ambiente os machos mais aptos a lidar com as condições em cativeiro foram favorecidos (Briceño & Eberhard, 1998). Essa espécie apresenta um sistema de acasalamento em “lek” (Arita & Kaneshiro, 1989) onde machos delimitam território e liberam feromônio (Briceño et al., 1997; Briceño & Eberhard, 2000). As fêmeas discriminam entre os machos do “lek” e rejeitam a maioria das manifestações de corte (Whittier & Kaneshiro, 1995) conduzindo a uma cópula diferencial com machos bem sucedidos. Deste modo, o macho deve desenvolver uma corte eficiente para que ele seja escolhido pela fêmea. As descrições das unidades comportamentais permitem conclusões a respeito de sinais que favoreçam a seleção do macho para acasalamento. Este trabalho teve como objetivo comparar o comportamento de corte e sucesso de acasalamento entre linhagens de machos selvagens e Viena TSL08 de C. capitata, perante fêmeas selvagens, visando à aplicação na TIE. Neste intuito foi considerada a participação dos machos nos leks; o tempo da emissão de feromônio; “tempo” e “freqüência” de execução das unidades comportamentais de corte; e a preferência de acasalamento das fêmeas. Os resultados evidenciaram uma dissimilaridade entre as populações analisadas quanto a execução da corte tanto na frequência quanto no tempo de cada unidade comportamental. O “tempo de corte”, a freqüência da “vibração contínua durante o alinhamento” e do “zumbido” foram as unidades comportamentais que mais contribuíram para a similaridade dentro de cada grupo. As cortes dos machos Viena foram realizadas de modo mais lento, além de terem apresentado um tempo de latência de corte maior. A freqüência na execução das unidades zumbido e rotação da cabeça (LLz e RRv) na estirpe selvagem foram mais repetitivas. De um modo geral, os machos selvagens utilizados neste trabalho se comportaram de modo mais ativo, rápido, e participativo na conquista da fêmea do que os machos Viena. Pode-se concluir que as pressões seletivas em ambientes artificiais favoreceram a discrepância entre os comportamentos das linhagens estudadas diminuindo a competitividade dos machos Viena TSL08 perante os selvagens.
URI: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/14538
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado (Pós-Ecologia)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Dissertação_Kelly Roriz_2010[1].pdf293.79 kBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA