DSpace

RI UFBA >
Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (FFCH) >
Programa de Pós-Graduação em Filosofia (PPGF) >
Dissertações de Mestrado (PPGF) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/11480

Title: Adorno e Horkheimer: a teoria crítica como projeto de emancipação
Authors: Silva, Vital Ataíde da
???metadata.dc.contributor.advisor???: Couto, Edvaldo Souza
Keywords: Teoria crítica;Esclarecimento;Instrumentalização;Indústria cultural;Emancipação
Issue Date: 2007
Publisher: Programa de Pós-Graduação em Filosofia da UFBA
Abstract: A dissertação, sob o tema Adorno e Horkheimer: a teoria crítica como projeto de emancipação, retoma os textos de Adorno e Horkheimer, investigando o pensamento desses autores, enquanto reflexão acerca da sociedade burguesa a partir dos elementos postos pelo pensamento moderno, alicerçado na afirmação da razão e na promessa de emancipação do homem das amarras dos mitos e do supra-sensível. A reflexão acerca da razão iluminista e do confronto entre a teoria tradicional e a teoria crítica enquanto instância crítica do processo que nasceu na modernidade, cujo resultado é a instrumentalização da razão, sua submissão à técnica, ou seja, o processo de dominação da natureza hostil, perpassa o trabalho dos autores, como um resgate do projeto originariamente emancipatório da razão iluminista. A investigação tem como eixo central a análise de obras como Teoria tradicional e teoria crítica, Dialética do esclarecimento e diversas obras menores que correspondem às três fases de desenvolvimento do pensamento deles. Na fase inicial os autores estavam ligados à idéia de uma possível emancipação através de uma revolução proletária. Na segunda, há uma descrença na possibilidade de transformação. Seus textos são do período do exílio americano. A terceira fase é marcada pela crítica do “mundo administrado”, em que sobressaem a critica cultural e da educação e a busca de saídas, consideradas por seus críticos como aporias. As principais questões abordadas podem ser sintetizadas na relação entre a teoria tradicional e a teoria crítica e no seu reconhecimento da transformação da razão em razão instrumental, a questão da dialética do esclarecimento, em que se dá a sobreposição da dominação sobre a emancipação, revelada sobretudo no eclipsamento do sujeito, no antissemitismo e na manipulação da cultura e da informação pelo poder da indústria cultural e, por fim, as questões em que são pontuados os elementos que vinculam a teoria crítica à emancipação. Dessa forma, a critica se inscreve no exame do processo civilizatório, entendido como paulatino movimento em direção à dominação da natureza e do homem (natureza externa e interna), expressa pela teoria tradicional, que redunda na instrumentalização da razão. Esse estudo permitiu ver na proposta da “educação contra a barbárie”, da “educação para uma consciência verdadeira”, da “educação para a sensibilidade”, na “formação contra a semiformação”, no progresso como desenvolvimento da humanidade; enfim, numa “educação para a emancipação” elementos que, sobrevindos da crítica, dão guarida a um projeto de emancipação.
Description: 121f.
URI: http://www.repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/11480
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado (PPGF)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Dissertacao Vital Silvaseg.pdf578.92 kBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA