DSpace

RI UFBA >
Escola de Nutrição >
Programa de Pós-Graduação em Alimentos, Nutrição e Saúde (PGNUT) >
Dissertações de Mestrado (PGNUT) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/11164

Title: Ângulo de fase em pacientes com HIV/AIDS: comparação com métodos de avaliação do estado nutricional
Authors: Sampaio, Ethiane de Jesus
???metadata.dc.contributor.advisor???: Medeiros, Jairza Maria Barreto
Keywords: Ângulo de fase;Antropometria;Bioimpedância;Avaliação nutricional;HIV/AIDS
Issue Date: 21-May-2013
Abstract: Antropometria e bioimpedância são métodos validados para avaliação nutricional de pacientes com HIV/AIDS, mas podem ter sua acurácia reduzida diante de alterações da composição corporal comuns nesses pacientes. Assim, é importante investigar a utilização de parâmetros do estado nutricional que sofram mínima influência dessas alterações. O Ângulo de Fase (AF) por ser facilmente obtido, não depender de equações preditivas e sofrer mínima influência da redistribuição de gordura corporal poderia ser o indicador de escolha na avaliação desses pacientes. Porém, seu papel como marcador do estado nutricional ainda não está bem elucidado. Objetivo: O objetivo desse estudo foi avaliar a relação do AF com parâmetros estimados a partir de dois diferentes métodos de avaliação do estado nutricional em pacientes com HIV/AIDS. Métodos: Estudo transversal, que avaliou 93 indivíduos, de ambos os sexos com HIV/AIDS, pela antropometria (índice de Massa Corporal – IMC, Área Muscular do Braço corrigida - AMBc) e pela bioimpedância (percentual de Massa Magra - %MM, percentual de Massa Celular Corporal - %MCC, relação Massa Extracelular/Massa Celular Corporal – ME/MCC, AF e AF padronizado). Foram realizados Teste T de Student, análise de correlação de Pearson e análise de concordância a partir do coeficiente kappa para verificar a relação do AF com ambos os métodos. Resultados: Pacientes com AF e AF padronizado abaixo da mediana apresentaram menores valores médios para AMBc, relação ME/MCC, IMC e %MCC. AF e AF padronizado apresentaram forte correlação inversa e estatisticamente significante com a relação ME/MCC, tanto na amostra total quanto por sexo. Foram verificadas ainda diferentes graus de correlação entre AF e AF padronizado e IMC, AMBc e %MCC. Observou-se apenas moderada concordância entre o AF e a relação ME/MCC na amostra total e boa concordância no sexo masculino. Para o AF padronizado obteve-se moderada concordância com essa relação apenas para o sexo masculino. Conclusão: Apesar da boa correlação com parâmetros associados à massa muscular e à desnutrição e de pacientes com menores AF apresentarem pior estado nutricional de acordo com alguns dos indicadores, o AF não apresentou boa concordância com parâmetros do estado nutricional em pacientes com HIV/AIDS, assim como observado em outras condições clínicas.
URI: http://www.repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/11164
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado (PGNUT)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Dissertação_Nut_ Ethiane Sampaio.pdf1.01 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA