DSpace

RI UFBA >
Escola de Nutrição >
Programa de Pós-Graduação em Alimentos, Nutrição e Saúde (PGNUT) >
Dissertações de Mestrado (PGNUT) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/11063

Title: Ângulo de fase enquanto indicador de estado nutricional no câncer do trato digestório
Authors: Costa, Giovanna Lúcia Oliveira Bonina
???metadata.dc.contributor.advisor???: Ramos, Lilian Barbosa
Keywords: Avaliação do estado nutricional;Bioimpedância elétrica;Ângulo de fase;Câncer do trato digestório
Issue Date: 16-May-2013
Abstract: O ângulo de fase (AF), obtido a partir da Análise por Impedância Bioelétrica (BIA) tem sido interpretado como indicador da integridade da membrana e, por ser considerado preditor de massa celular, têm sido utilizado como indicador nutricional. Objetivo: Avaliar o ângulo de fase (AF) como indicador de estado nutricional em pacientes com câncer do trato digestório. Método: estudo transversal, derivado de um projeto maior intitulado “Indicadores do Estado Nutricional no Câncer do Trato Digestório”, composto por 71 pacientes com diagnóstico de câncer do trato digestório admitidos no Hospital Santa Izabel, Santa Casa de Misericórdia da Bahia, Salvador. Os dados obtidos com a avaliação do estado nutricional através da circunferência do braço (CB), dobra cutânea tricipital (DCT), circunferência muscular do braço (CMB), circunferência da panturrilha (CP), Índice de Massa Corporal (IMC), espessura do músculo adutor do polegar (EMAP), dinamometria, Avaliação Subjetiva Global (ASG) e contagem total de linfócitos (CTL) foram comparados com a medida do Ângulo de Fase Padronizado (AFP) obtida a partir da Análise por Impedância Bioelétrica (Bioelectrical Impedance Analysis – BIA). Foi realizada análise descritiva, coeficiente Kappa, o teste Qui Quadrado, Exato de Fisher, o teste t de Student, coeficiente de Correlação de Pearson, construção e análise de curva ROC (Receiver Operating Characteristic Curve). Foi considerado um nível de significância de p<0,05. Resultados: Com exceção da CTL, para todos os demais métodos, observaram-se valores médios de AFP menores entre os pacientes desnutridos com significância estatística. As melhores concordâncias entre os métodos foram obtidas entre o AFP e a dinamometria (0,48; p<0,001) e entre o AFP e a ASG (0,44; p<0,001). A maioria dos indicadores apresentou correlação positiva com o AFP, exceto a CTL e dinamometria, sendo o IMC o que apresentou melhor coeficiente de correlação (r = 0,56; p < 0,001). Utilizando-se a ASG como referência, o ponto de corte do AFP de melhor sensibilidade (79%) e especificidade (71%) foi -1,57. A área sob a curva ROC foi de 0,83. Conclusão: os nossos achados sugerem uma habilidade do AFP, em detectar comprometimento no estado nutricional, podendo o AFP ser considerado um potencial indicador nutricional no câncer gastrintestinal.
URI: http://www.repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/11063
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado (PGNUT)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Dissertação_Nut_ Giovanna Costa.pdf1.01 MBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA