DSpace

RI UFBA >
Instituto de Saúde Coletiva - ISC >
Dissertações de Mestrado Profissional (ISC) >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/10342

Title: O efeito da estratégia de saúde da família na vigilância de óbitos infantis no Estado da Bahia
Authors: Pereira, Marta Santana Lima
???metadata.dc.contributor.advisor???: Pereira, Rosana Aquino Guimarães
Keywords: Atenção primária à saúde;Saúde da família;Vigilância epidemiológica;Investigação de óbitos infantis;Mortalidade infantil;Primary health care;Family health surveillance;Investigation of infant deaths;Infant mortality;Saude publica
Issue Date: 2010
Publisher: Programa de pós-graduação em saúde coletiva
Abstract: O estudo avaliou o efeito da Estratégia de Saúde da Família na vigilância de óbitos infantis nos municípios do Estado da Bahia no ano de 2008. O desenho de estudo foi ecológico de múltiplos grupos, tendo o município como unidade de análise. Foi realizada uma análise descritiva das características dos municípios onde houve investigação de pelo menos um óbito infantil e daqueles onde houve investigação de pelo menos 25% dos óbitos infantis (meta mínima) para o ano de 2008, segundo o porte opulacional, localização geográfica (macrorregião), IDH municipal, cobertura de Saúde da Família, existência de Comitê de prevenção de óbito infantil, de responsável técnico municipal e de leito obstétrico (clínico ou cirúrgico). Foi investigada a associação entre a cobertura de Saúde da Família e o desenvolvimento de ações de investigação de óbito infantil no município através de análise de regressão logística bivariada e multivariada, ajustando pelas variáveis sócio-econômicas, demográficas e de organização de serviços. Os dados capturados dos diversos sistemas de informação foram processados em uma única base de dados utilizando o pacote estatístico Stata 10, também utilizado para análise dos dados. Em 2008, no Estado da Bahia, foram investigados 21,3% dos óbitos infantis, percentual aquém da meta mínima pactuada. Embora em 48,9% dos municípios tenha havido investigação de pelo menos um óbito infantil, em apenas 35,5% foi alcançada a meta mínima de investigação de pelo menos 25% dos óbitos e em 26,6%, a meta municipal pactuada pelos gestores. Não houve associação entre a cobertura da Estratégia de Saúde da Família e a implementação de ações de investigação de óbitos infantis nos municípios baianos. As características principais dos municípios onde houve investigação de pelo menos um óbito infantil foram: maior porte populacional, melhores condições de vida, existência de Comitê e de pelo menos um leito obstétrico implantado. No entanto, quanto ao alcance da meta mínima, não foram observadas diferenças significativas entre as variáveis estudadas. Os resultados do presente estudo sugerem que a Vigilância do Óbito Infantil no Estado da Bahia ainda encontra-se incipiente e centralizada, havendo necessidade de investimentos ainda maiores da gestão estadual e municipal no sentido de fortalecer a descentralização dessas ações para as equipes locais de atenção primária, apontando para a necessidade de expansão da Estratégia de Saúde da Família para os grandes centros urbanos, local onde se concentra maior número de óbitos em menores de um ano e para a qualificação dessas equipes, visando à melhoria da qualidade e organização do cuidado de gestantes e crianças, e conseqüentemente a redução da mortalidade infantil no Estado da Bahia.
Description: p. 1-48
URI: http://www.repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/10342
Appears in Collections:Dissertações de Mestrado Profissional (ISC)

Files in This Item:

File Description SizeFormat
22222.pdf329.07 kBAdobe PDFView/Open
View Statistics

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

    Universidade Federal da Bahia

Contate-nos. Saiba mais sobre o RI/UFBA